Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

sábado, 24 de setembro de 2016

Vila do Conde e a Capela de S. Roque



* Victor Nogueira


A Rua do Lidador ladeia o Largo de S. Roque e deste parte a Rua do Fraga, ate à zona ribeirinha.  A Capela de S. Roque foi «Feita pelos devotos desta Vila pela peste de 1580», de acordo com inscrição nela existente, Segundo Marta Miranda no seu livro «Vila do Conde», em 1580 provocou a morte de aproximadamente 700 habitantes da Vila. Perante tamanha mortalidade os sobreviventes decidiram erguer no centro da povoação uma capela a S. Roque, o santo protector contra as epidemias, cujo culto era compartilhado com o de Nossa Senhora do Pilar.

Esta devoção é atestada por outra inscrição: «Esta obra de azulejos mandaram fazer os devotos de Nª Sª do Pilar no ano de 1746». A fachada é simples, com pórtico de arco volta perfeita e abertura encimada pela divisa dos jesuítas – JHS: “Jesus Huminum Salvator”. O templo tem uma única nave com a capela-mor revestida a talha dourada, Preside, no trono a imagem de S. Roque. A imagem de Nossa Senhora do Pilar encontra-se no Museu de Arte Sacra. O púlpito, da autoria de João de Castilho, é proveniente da Igreja Matriz de S. João Baptista pois Joaquim Pacheco Neves, no seu livro «Vila do Conde» relata terem “os membros do Senado da Câmara de Vila do Conde na sua reunião de 7 de Agosto de 1720, acordaram que se desse o púlpito velho da Igreja, de pedra, para a capela de S. Roque, por ser deste povo e na dita capela haverem muitas festas do povo.” 

No exterior e do lado da Rua do Lidador encontra-se a 8ª Estação da Via Sacrar




(casas quinhentistas na Rua do Fraga)








(Solar de S. Roque)








(8ª estação da Via Sacra)




















(púlpito de João de Castilho)



(Rua do Lidador, vista do interior da Capela de S. Roque)


(Rua do Lidador, vista do adro da Capela)


(Solar de S. Roque, na Rua do Lidador)





(janela do Solar de S. Roque)


fotos em 2016.06.23

Texto adaptado de - Capela de S. Roque in http://paroquiadeviladoconde.pt/roque.php

Sem comentários: