Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

domingo, 31 de dezembro de 2017

arte funerária em Setúbal - 2ª edição

* Victor Nogueira

O cemitério da Santa Casa da Misericórdia de Setúbal foi construído fora de portas no século XVIII, na vizinhança da Igreja dos Grilos, pertencente ao Convento da Ordem de Santa Teresa dos Agostinhos Descalços (Grilos). Com a proibição dos enterramentos dentro das igrejas ou no adro destas, na sequência das Revoluções Liberais e por razões de saúde pública (sec XIX), presumo que tenha sido na cerca deste que o Cemitério de N. Sra da Piedade (ou Cemitério Velho) foi construído, delimitado a SW pela Igreja Paroquial de S. Sebastião e a SE pelo que resta dum dos baluartes setecentistas. No seu interior situava-se também, murado, o chamado Cemitério dos Ingleses, hoje com ar de abandono. de arquitectura sóbria e despojada, contrastando com  o "barroquismo" dos portugueses.


Na cabeceira  do que foi o Cemitério da Misericórdia - cuja entrada se faz(ia) pela Rua Santos Silva - encontra-se um altar de azulejos historiados e do cimo do baluarte existe uma esplanada em aterro com vista para a cidade e para o estuário do Sado. Já a entrada para o Cemitério dos Ingleses se faz(ia) pela Rua Francisco José Mota, ambas nas traseiras da Igreja do Grilos



Altar do Cemitério da Misericórdia












Uma análise  deste monumento classificado como "Património Cultural" encontra-se em 

Uma singular Obra de azulejaria barroca em Setúbal

da autoria de Ana Margarida Portela e Francisco Queiroz

 http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/7499.pdf


brasão no tecto duma das salas do antigo Hospital de Misericórdia de Setúbal, onde actualmente é a Sociedade Musical Capricho Setubalense





Entrada pelo Largo Santos e Silva


Cemitério dos Ingleses



Talhão da Liga dos Combatentes





Em 1950 a Câmara Municipal de Setúbal, concedeu um lote de terreno com a área de cerca da 200 m2 no Cemitério da Nª. Sra. da Piedade, para que os ex-Combatentes falecidos ali ficassem sepultados. Em 1954 foi construído o 1º. conjunto de 120 gavetões (ossários), onde passaram a ficar depositados os restos mortais dos ex-Combatentes. O espaço de terreno cedido, ficou com a designação de Talhão dos Combatentes (http://www.ligacombatentes.org.pt/nucleos/mais/5
4)

Arte funerária



campa de José Afonso



















(Capela do Cemitério)



 o "miradouro" e a Igreja de S. Sebastião









"testemunhos" da muralha setecentista e das fábricas de conservas de peixe


Vista do baluarte e chaminés das fábricas conserveiras demolidas, a partir do exterior 
(Rua Camilo Castelo Branco)






fotos em 2016 / 2017

1ª edição em  arte funerária em Setúbal