Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

sábado, 30 de abril de 2016

Palácio da Comenda e Ribeira da Ajuda, em Setúbal


* Victor Nogueira



A ribeira e parque de merendas da Comenda

Um dos interessantes livros de Rui Canas Gaspar sobre Setúbal [Histórias, Coisas e Gentes de Setúbal] fala-me dos chamados Palácios da Comenda (na foz da Ribeira da Ajuda ou de Aravil) e dos Arciprestes, na Quinta da Varzinha. Este último já foi objecto de uma publicação neste blog (1). A informação do adiantado estado de degradação e devassa do Palácio da Comenda orienta-me para uma visita a este. 

Partindo do Parque das Merendas da Comenda, na foz da Ribeira da Ajuda, sigo pela margem esquerda. Intrigam-me umas ruínas circulares que mais tarde identifico como sendo do degradado sítio romano (de cetárias) e uns muretes paralelos ao rio sado, que em pesquisa posterior verifico serem uma defesa do campo arqueológico relativamente ao movimento das marés.

A ribeira é um fio de água entremeado de pequenas lagunas no concorrido Parque de Merendas, defronte do qual se vislumbra a Península de Troia e para montante o Forte e a Praia de Albarquel e Setúbal, para juzante se avistando o Forte do Outão.

O Palácio de Raul Lino

O Palácio da Comenda situa-se lá no cimo da penedia e para ele subo ultrapassado um portão escancarado, na ladeira me cruzando com grupos de pessoas que sobem ou descem descontraídamente. O aparente bom estado de conservação do edifício é desmentido pelas portas e janelas esventradas, com vidros e portadas partidas. 

Circulando um pouco labirinticamente pelo edifício - de salas amplas, desafogadas e abertas ao sol e à brisa - alguns aspectos me intrigaram; não dei pelas cozinhas nem por WC hodiernos  e apenas uma das salas tinha uma pequena lareira, talvez recente, consequência provável da orientação solar do conjunto habitacional.
fonte - obra de Rui Canas Gaspar supra-referida

O edifício, substituindo um anterior, foi erguido em cima duma fortificação (baluarte)  segundo projecto do arquitecto  Raúl Lino, autor também do edifício dos Paços do Concelho de Setúbal, que haviam sido destruídos por um incêndio na noite de 4 de Outubro de 1910. Nesse dia e sem esperar por Lisboa a República fora proclamada não só em Setúbal como também na Moita e em Loures, povoações com forte implantação operária. Haverá outro edifício projectado por Lino, numa vivenda em adiantado e crescente estado de degradação na avenida dos Combatentes, paredes meias com o Departamento de Urbanismo Municipal.

Depois de adquirido por Xavier de Lima para mais um  ambicioso complexo hoteleiro, o projecto foi descartado e a Herdade e o Palácio da Comenda caíram no abandono, tendo a Câmara em 2016 iniciado o processo de classificação patrimonial do edifício (2).

De Raúl Lino e do Palácio da Comenda fala   em O Palacete da Comenda e uma dormida de Raul Lino ao luar, (3) donde se extraem  as duas lantas seguintes:



                                              Comenda: rés-de-chão , em desenho de Raul Lino (in A Arquitectura Portuguesa, 1908)



Comenda: 1º andar, em desenho de Raul Lino (A Arquitectura Portuguesa, 1908)


Os painéis de azulejos encontram se desaparecidos na sua maioria, embora seja possível "vê-los" na blogosfera. (4) 




fotos em Azeitão, Arrábida e Setúbal   (5)

Para outra photo-reportagem ficam o sítio romano arqueológico e as circum-vizinhas ruínas da Igreja de N. Sra da Ajuda, no Casal da Ajuda, destruída pelo terramoto de 1755.

No final deste post pode visualizar um vídeo de Pedro Rodrigues., remetendo uma hiperligação para dois excertos do filme "A Balada da Praia dos Cães", de José Fonseca e Costa, nesta propriedade parcialmente rodado. O que eu fiz, ilustrando o meu processo de escolher o ângulo da fotografia ficou demasiado pesado para publicação neste blog

~~~~~~~~~
(1) - 

Sic transit gloria mundi e o Palácio dos Arciprestes em Setúbal

http://kantophotomatico.blogspot.pt/2015/07/sic-transit-gloria-mundi-e-o-palacio.html


(2) -

(3) - 
http://nestahora.blogspot.pt/2007/08/o-palacete-da-comenda-e-uma-dormida-de.html

(4) - 


(5 )  -
https://www.facebook.com/media/set/?set=a.320978824598337.94488.318994638130089&type=3/






Tróia ao fundo


Albarquel ao fundo


Tróia ao fundo

Palácio da Comenda








vistas a partir  da ribeira da Ajuda


entrada principal




o caminho de acesso



na fachada  Norte, registo de N. Sra da Ajuda



escada de serviço



escada principal






























águas furtadas





foz da Ribeira da Ajuda




no meio do arvoredo, as ruínas da Igreja de N. Sra da Ajuda






escada de serviço



escada principal





monta-cargas



vestígios do antigo baluarte sobre o qual o palácio foi edificado e entrada de serviço



entrada secundária


registo de azulejos (N. Sra da Ajuda)






entrada principal


figuras de convite, no átrio






~~~~~~~~~~~

Visita ao Palácio da Comenda (Setúbal)


Publicado a 23/08/2014

ver também


O Palácio da Comenda e a "Balada da Praia dos Cães"