Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

domingo, 11 de setembro de 2016

famalicão: por entre igrejas, capelas e conventos

* Victor Nogueira
(texto e fotos)

O objectivo primordial era visitar a Casa-Museu de Camilo em S. Miguel de Ceide, mas numa curva da estrada vislumbro um estaleiro de obras e mais  em cima uma igreja românica, que decido visitar. Está fechada e anexo existe o que me parece ser um Museu de Arte Sacra, tmbém encerrado. Nas traseiras um pequeno largo arborizado confina com o cemitério. Verifico que é a  Igreja de Santiago de Antas. No terreiro uma série de escavações indiciam pesquisas arqueológicas mas ninguém vislumbro a quem possa indagar. Perto um edifício branco de traço contemporâneo alberga o que depois verifico ser o novo templo denominado Centro Pastoral de Santiago de Antas. As obras devem ser pois de requalificação da zona envolvente do conjunto arquitéctónico.


Igreja e Centro Pastoral de Santiago de Antas (o novo templo é um projecto do Arquitecto Hugo Correia) (in http://www.snpcultura.org/tvb_igreja_santiago_antas.html)

Posteriormente, em S. Miguel de Ceide e no Largo defronte da Casa de Camilo, uma placa indica o caminho para Landim, onde tenciono visitar a Igreja e Mosteiro de Santa Maria de Landim, perto do qual verifico existir uma curiosa Capela de S. Brás. A Igreja do antigo Mosteiro estáo em obras mas aberta. Por um portão entro na Quinta do Mosteiro e penetro no claustro, onde operários colocam um telhado transparente. Não confirmo se há ou não um Museu mas se há  está fechado pelo que retrocedo para o adro e pela porta principal acedo ao interior do  templo. Uma senhora idosa e franzina faz arranjos florais e, sorridente, insta comigo para que visite também a sacristia, o que faço. As esculturas são umas de grande qualidade e outras nem por isso, sendo mesmo algo kitsch - de assinalr a talha dourada de alguns dos altares. Á saída vejo o que está exposto para venda numa vitrine e adquiro uma obra colectiva editada pelo Instituto de Arte e História Cristãs da Arquidiocese de Braga intitulado A Igreja e Mosteiro de Santa Maria de Landim, profusamente ilustrado.


O conjunto é propriedade particular e as obras no claustro destinam-se a protegê.lo das intempéries pois nele se realizam eventos socials como festas de casamento.


Igreja do antigo Mosteiro de Landim (foto em http://www.mosteirodelandim.com/)


Segue-se a reportagem photographica desta passagem por Santiago de Antas e por Landim. 

Igreja de Santiago de Antas




















Santiago ("o Maior"), um dos discípulos de Cristo foi um dos apóstolos, também conhecido  como "Mata-Mouros", de Compostela, Esta Igreja das Antas foi erguida no século XIII, como igreja de um mosteiro que pertenceu inicialmente à Ordem dos Templários e que em 1549 era propriedade da Ordem dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho. Com um estilo simples e despojado, é de estilo românico tardio, com alguns elementos de transição para o gótico, apresentando similitudes com a  Igreja de Roriz, sua contemporânea. O interior, de nave única, apresnta capitéis com motivos geométricos, vegetalistas e zoomórficos.  (informação complementar em http://terrasdeportugal.wikidot.com/igreja-de-santiago-de-antas)

Capela de S. Brás, em Landim


















a

Situada perto da Igreja do Mosteiro com zona arborizada adjacente, com cruzeiro defronte, caracteriza-se por uma vasta galilé e púlpito exterior ao lado de pequena torre sineira. Não foi possível visitar o interior.

 Igreja e Mosteiro de Santa Maria de Landim

































confessionário













2 aspectos da sacristia










Mosteiro de Landim apresentado pela proprietária, Maria Henriqueta Sampaio da Nóvoa. Autoria - Município de Famalicão (2012)


autor: Luis Emidio Jardim Teixeira (2011 e 

O Mosteiro teria sido fundado no primeiro Quartel do Sec. XII,  da Ordem dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho, sediados no Mosteiro de Santa Cruz, em Coimbra. Anexo e a sul do conjunto monástico temos o Parque e a Cerca que se estende por consideráveis terras agricultadas, no prolongamento de uma magnífica mata de carvalhos, matizada por faias, acácias e medronheiros. Junto ao Parque, embelezado por arruamentos e artísticos fontanários, existiu um gracioso horto com tanque e chafariz, onde ainda se podem ver os muros de suporte rematados de cantaria. Originalmente de estilo românico, na Igreja e dessa época poucos testemunhos subsistem, após profunda remodelação no sec. XVI, com novo claustro. (fonte: wikipedia). O Mosteiro foi extinto no século XIX na sequência das Revoluções Liberais e vendido em hasta pública e dele existe apenas a Igrja e respectivo claustro. A título de curiosidade refira-se que Camilo Castelo Branco a convite dos donos permaneceu algumas largas temporadas nesta propriedade,  onde escreveu algumas das suas páginas literáriasm mantendo-se memórias dessas estadias.

Mais sobre o Mosteiro e a Quinta em  http://www.mosteirodelandim.com/origens.asp e http://www.mosteirodelandim.com/venda.asp

2016.09.09

Sem comentários: