Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Exposição faz homenagem aos povos afrodescendentes




17/11/2011 às 17:03:54 - Atualizado em 17/11/2011 às 17:39:37
Alice Rodrigues
O artista plástico Espedito Rocha, falecido em 2010, é homenageado.
Nesta quinta-feira (17), às 19h, inaugura na Casa Romário Martins uma exposição fotográfica comemorativa ao Ano Internacional dos Povos Afrodescendentes e à Semana da Consciência Negra. A iniciativa da Fundação Cultural de Curitiba também presta homenagem ao artista plástico Espedito Rocha, falecido em 18 de novembro de 2010. A escultura "Boia-fria", importante obra do artista, ocupará o espaço central da Casa Romário Martins.
Composta por 32 imagens selecionadas do acervo do Museu da Fotografia de Curitiba, a mostra reúne trabalhos de fotógrafos como Sebastião Salgado, Bob Wolfenson, Daniel Augusto Júnior, André Vilaron, Mário Cravo Neto e Nego Miranda, dentre outros renomados profissionais que retratam vários aspectos da influência da cultura negra em todo o mundo. "Ao celebrar o Ano Internacional dos Povos Afrodescendentes, instituído pela Unesco, abrimos espaço para a reflexão sobre questões atuais da sociedade, enaltecendo o legado dos povos negros aos cinco continentes", ressalta a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Roberta Storelli.
Artista e dirigente político
Ao destacar a escultura "Boia-fria", a exposição na Casa Romário Martins presta um tributo a Espedito Rocha, exatamente um ano depois da morte do artista e dirigente político. Nascido em Pernambuco, Espedito chegou ao Paraná no início da década de 1950, tendo trabalhado na colonização do norte do Estado. Posteriormente, mudou-se para Curitiba e aqui iniciou a atividade sindical.
Com o golpe militar de 1964, Espedito teve seus direitos políticos cassados, permanecendo na clandestinidade e militando como dirigente nacional do PCB, durante todo o regime militar. Nesse tempo de esconderijo, voltou a exercitar a arte de esculpir na madeira. Anistiado em 1979, retornou a Curitiba, onde reorganizou o PCB, permanecendo seu presidente até meados da década de 1990.
Considerado pela crítica especializada como um dos mais originais escultores brasileiros, Espedito é internacionalmente conhecido e seus trabalhos integram o acervo permanente de vários museus do país.
Eventos no Memorial de Curitiba
O Memorial de Curitiba sedia programação do Centro Cultural Humaitá, em comemoração ao Ano Internacional dos Povos Afrodescendentes. Neste sábado (19), serão desenvolvidas atividades que evidenciam a contribuição do povo negro para a formação do Paraná, além de dar visibilidade às artes de matriz africana na capital paranaense.
A programação é gratuita e estende-se das 9h às 21h, oferecendo palestras, debates, apresentações artísticas e feira de artesanato.  
Serviço:
Exposição em homenagem ao Ano Internacional dos Povos Afrodescendentes e à Semana da Consciência Negra.
Local: Casa Romário Martins (Largo da Ordem, 30 - Centro Histórico).
Data: de 17 de novembro de 2011 (abertura às 19h) a 17 de fevereiro de 2012.
Horário de visitas: de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h; sábados e domingos, das 9h às 14h. 
Entrada franca.
Celebração do Ano Internacional da Afrodescendência, pelo Centro Cultural Humaitá.
Palestras, debates, apresentações artísticas e feira de artesanato.
Data e horário: 19 de novembro de 2011 (sábado), das 9h às 21h.
Local: Memorial de Curitiba (Rua Claudino dos Santos, 79 - Centro Histórico).
Entrada franca.

Sem comentários: