Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

terça-feira, 26 de maio de 2020

Laundos - Monte de S. Felix

* Victor Nogueira

O Monte de São Félix, na sequência da Serra de Rates, apesar da sua altura modesta, destaca-se na paisagem xistosa por ser uma elevação em frente a uma planície litoral (202 metros). Localiza-se em Laúndos, na freguesia do município de Póvoa de Varzim. É um lugar religioso de culto ancestral e referência da comunidade piscatória; no sopé do monte realiza-se em Maio uma das mais concorridas manifestações religiosas da Póvoa de Varzim, a Romaria e Peregrinação Arciprestal a Nossa Senhora da Saúde. 

Acreditam os fiéis que neste monte viveu o eremita São Félix, responsável por ter encontrado o corpo de São Pedro de Rates, primeiro bispo de Braga, que teria dado origem à igreja de São Pedro de Rates e justificado, em termos religiosos, a primazia de Braga na Península Ibérica (1).

O monte tem quinze capelas representando a Via Sacra, num escadório que une o Santuário da Senhora da Saúde, no sopé, e a Capela de São Félix, no cimo

Vou com o vizinho Alcino, do Mindelo, a este local num dia cinzento de Outubro e o cume parece-me desgracioso, artificial, com a sua capela, restaurantes, moinhos de vento desactivados e descaracterizados; em contrapartida os jardins que ladeiam o escadório estão viçosamente verdejantes. No terreiro da Igreja da Senhora da Saúde, neogótica, que fotografei de longe, sem sair do carro, existem dois coretos, dos quais só me apercebo muito posteriormente.

Aqui se encontra o que considero ser um desgracioso Monumento aos Emigrantes, da iniciativa do “Dr. Manuel Moreira Giesteira” (1998), comis painéis de azulejos, um representando a chegada de Pedro Alvares Cabral ao Brasil e outro a Praça de Paimó, no lugar de Aguçadoura, nos anos ’50 do século XX, terra natal do mandante do conjunto monumental, que deste modo da lei da morte e  do esquecimento se tenta libertar.

Santuário da Senhora da Saúde



Coretos


Escadório

Capela de S. Felix











Moinhos de vento



 









Praça de Paimó, no lugar de Aguçadoura, nos anos ’50 do século XX















Sem comentários: