Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

Aqui está o Zé de braço ao peito, engessado

* Victor Nogueira



foto jj castro ferreira - Luanda e Praia do Bispo - Aqui está o Zé de braço ao peito, engessado, em 1959. Andava numa escola primária oficial perto da Direcção Provincial de Obras Públicas onde o nosso pai trabalhava.

Ao sair das aulas, aflito para ir à casa de banho, desatou a correr até ao Gabinete do Nogueira da Silva, quando tropeçou e pimba, caiu e partiu o braço, que ficou em ângulo recto para grande susto dele.

Alguém na rua providenciou o seu transporte para o banco do Hospital Maria Pia (actual Josina Machel), ao cimo da então Avenida Álvaro Ferreira (actual Avenida do I Congresso do MPLA), e de lá telefonaram ao nosso pai para ir buscá-lo.



 foto jj castro ferreira - Com João Coimbra e Joaquim Birrento

















Fotos em 1959.01

Sem comentários: