Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

“Stories” | Natalia Jaskula

A23 Online
tmg

“Stories” | Natalia Jaskula



.
A fotografia, enquanto arte que tenta fixar a realidade, é uma das melhores formas de representação da contemporaneidade. O diálogo entre a arte e o corpo e, consequentemente, a localização do corpo no tempo e no espaço têm sido uma constante no trabalho de Natalia Jaskula . Uma permanente revisitação da sensualidade e delicadeza do corpo, criando sempre um elo de cumplicidade entre o fotógrafo e o modelo. Propondo-nos uma leitura cénica e fragmentada, Natalia Jaskula confronta-nos com o rigor mortis da fotografia, essa arte que pode ser como a palavra porque, se nos sensibiliza, também nos incomoda e persegue. Arte que nos conduz à reflexão, o que, na nossa contemporaneidade, é também uma forma de resistir. 
.
.
Texto | Ricardo Paulouro
Fotografias de Natalia Jaskula | Edição de Susana Paiva

Sem comentários: