Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Lagoa de Óbidos em 1997.10.30

* Victor Nogueira







foto victor nogueira - Lagoa de Óbidos em 1997.10.30


Um dos caminhos para a Nazaré pode ser pelo cimo do Monte do Facho, agreste, na Serra do Bouro, partindo da Foz do Arelho. As margens da Lagoa de Óbidos, hoje com uma área muito mais reduzida, são arborizadas e percorrendo as suas margens, ao longe, avista-se um aglomerado de barracas de colmo, cuja função não descortino, e redes de pesca, no meio das águas, junto a um bote com um pescador. A esta lagoa vêm desaguar o rio Arnóia e ribeiras do Cabo, do Meio e Real. (Notas de Viagem, 1997.10.30) 

Sem comentários: