Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

sábado, 21 de maio de 2011

Eu me desdobro em muitos –a autorrepresentação na fotografia contemporânea



21/05/2011 - 12:23 

Eu me desdobro em muitos –a autorrepresentação na fotografia contemporânea


Abrindo o FotoRio 2011 - Encontro Internacional de Fotografia do Rio de Janeiro.
.
O Centro Cultural do Banco do Brasil marca a abertura do FotoRio 2011 - Encontro Internacional de Fotografia do Rio de Janeiro- com a realização da exposição Eu me desdobro em muitos – a autorrepresentação na fotografia contemporânea no dia 30 maio, às 19h, nas salas H, I e pátio da Rua Direita no 1º andar do CCBB. A mostra ficará aberta ao público de 31 de maio a 10 de julho, na Rua Primeiro de Março, 66, 1° andar, Centro do Rio, e tem entrada franca.
.
Inédita e exclusiva, a exposição é fruto da parceria entre o FotoRio 2011 e a MEP - Maison Européenne de la Photographie, de Paris, e resultado de um trabalho de garimpo levado a efeito pelos curadores Joana Mazza e Milton Guran em vários países e em diferentes eventos, ao longo dos últimos dois anos. Eu me desdobro em muitos – a autorrepresentação na fotografia contemporânea apresenta 69 obras físicas de sete artistas brasileiros e 14 estrangeiros, dentre os mais importantes autores da vanguarda da fotografia no campo da arte contemporânea no mundo. Complementam a mostra uma seleção de cinco vídeos curtos e interativos, com curadoria de Jean-Luc Monterosso, Diretor da MEP, e ainda a instalação “Estereoscopia” do carioca André Parente.
.
“Para chegarmos a esse conjunto de obras,”, explicam os curadores “contamos com apoio dos próprios artistas, das galerias e instituições às quais estão ligados. Selecionamos artistas seminais que dialogam no sentido contemporâneo com a autorrepresentação como os brasileiros Alisson Gothz, Helenbar, Luisa Burlamaqui, Fernanda Magalhães, Rodrigo Braga e Sofia Borges, o mexicano Gerardo Montiel Klint, a argentina Tatiana Parcero, o norueguês Bjorn Sterri e uma série de artistas europeus e norte-americanos da coleção da Maison Européenne de la Photographie, de Paris. São eles: Martial Cherrier, Gilbert & Georg, Robert Mapplethorpe, Duane Michals, Pierre Molinier, ORLAN, Philippe Perrin, Pierre & Gilles e Cindy Sherman.”
.
A exposição tem a autorrepresentação como proposta de realização artística. O retrato talvez seja a face mais importante da fotografia, como o foi para a pintura durante vários séculos. Ele deu um rosto, uma individualidade, para a população que, no senso comum, menciona a palavra “retrato” como sinônimo de fotografia.
,
Eu me desdobro em muitos – a autorrepresentação na fotografia contemporânea não deixa de tratar do tema retrato, mas vai muito mais além porque coloca no centro da discussão não apenas o autor como motivo, como nos tradicionais autorretratos, mas também como instrumento e elemento catártico de sua própria expressão. “Neste sentido”, contam os curadores “a autorrepresentação coloca-se como uma síntese da tradição do autorretrato da pintura com as modalidades de expressão surgidas ao longo do século passado, como a body art e a performance. A fotografia e o vídeo têm sido instrumento fundamental para a apresentação destes corpos-objetos”
..
Para complementar a exposição, o CCBB vai promover o Encontros com o autor, série de visitas guiadas onde artistas e curadores estarão circulando e comentando as obras com o público:
.
Dias 1º, 2, 3 e 4 de junho, de 17h às 19h, visita comentada com os curadores Milton Guran e Joana Mazza e artistas. Dia 14 e junho, de 17h às 19h, visita comentada com o curador francês Jean-Luc Monterosso e artistas.
.
O que é o FotoRio? O FotoRio – Encontro Internacional de Fotografia do Rio de Janeiro tem como objetivo valorizar a fotografia como bem cultural, dando visibilidade aos grandes acervos e coleções públicas e privadas e à produção fotográfica contemporânea brasileira e estrangeira, através de exposições, projeções e intervenções urbanas, cursos, seminários, oficinas, mesas-redondas, palestras e conferências. A intenção é destacar, através de um evento de porte internacional, a importância da fotografia na comunicação e na vida social contemporânea. O evento é bienal, acontecendo nos meses de maio, junho e julho desde 2003. Em 2011 realiza sua quarta edição.
.
O FotoRio é um movimento de fotógrafos que atua como agente aglutinador, estimulando a exposição e discussão de trabalhos históricos e contemporâneos da fotografia brasileira e internacional. Pretende ser um espaço de promoção de cultura visual, que resgata o papel de vanguarda da cidade do Rio de Janeiro como referência da fotografia no continente.
.
No plano internacional, o FotoRio já nasceu integrado ao Festival da Luz, rede criada por fotógrafos, colecionadores e estudiosos da fotografia em todo o mundo. Atualmente, o Festival da Luz conta com dezenas de eventos espalhados pelas principais cidades do mundo, entre as quais Mois de la Photo (Paris - França), Fotofest (Houston - USA), Encuentros Abiertos de Fotografia (Buenos Aires - Argentina), PhotoEspaña (Madrid - Espanha), Fotoseptiembre (México) e Fototage Herten (Colônia – Alemanha).
.
Curadoria da exposição: Joana Mazza e Milton Guran| Curadoria dos vídeos: Jean-luc Monterosso, MEP - Maison Européenne de la Photographie, de Paris | Direção de arte: Jair de Souza.
.
EU me desdobro em muitos – a autorrepresentação na fotografia contemporânea-Exposição de 69 imagens dos brasileiros André Parente, Alisson Gothz, Helenbar, Luisa Burlamaqui, Fernanda Magalhães, Rodrigo Braga e Sofia Borges, o mexicano Gerardo Montiel Klint, a argentina Tatiana Parcero, o norueguês Bjorn Sterri e uma série de artistas europeus e norte-americanos da coleção da Maison Européenne de la Photographie, de Paris. São eles: Martial Cherrier, Gilbert & Georg, Robert Mapplethorpe, Duane Michals, Pierre Molinier, ORLAN, Philippe Perrin, Pierre & Gilles e Cindy Sherman.
.
.[De 31 de maio a 10 de julho de 2011, de terça a a domingo, de 9h às 21h.Centro Cultural Banco do Brasil, Rua Primeiro de Março, 66 – Centro do Rio de Janeiro, salas H, I e pátio da Rua Direita .Entrada franca.Metrô: Uruguaiana.Facilidades para deficientes |www.bb.com.br |Telefone: (21) 3808-de 2020].
.
.

Sem comentários: