Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

terça-feira, 2 de março de 2010

Encomenda - Cecília Meireles

Assunto:
Data:
OLHA BEM NO FUNDO DOS MEUS OLHOS. VERÁS A MINHA VIDA PASSAR COMO SE DE COMBÓIO FOSSES. JÁ VISTE?! É, TU PRÓPRIO ESTÁS LÁ. PASSAS O TEMPO A ENTRAR E A SAIR NA ESTAÇÃO SEGUINTE. ENQUANTO ESTÁS AUSENTE, ATIRO O OLHAR PARA O HORIZONTE, TENTANDO BEBER E VIVER A PAISAGEM. QUANDO ESTÁS...O MEU OLHAR É SÓ PARA TI! POIS É, SEMPRE ESTA ALTERNÂNCIA... É QUE PASSEI A VIDA, ATÉ AGORA, SEM AINDA TER DECIDIDO SE TE QUERO NELA OU NÃO. AGORA VAI. VOU CERRAR OS OLHOS - QUERO FICAR A SÓS COMIGO. NESTE MEU JARDIM NINGUÉM ENTRA!EM ANEXO UM BEIJO.
.
Distribuído por Moranguinho Pereira (hi5)

.
ENCOMENDA
.
Desejo uma fotografia
como esta aqui o senhor vê? aqui como esta:
em que para sempre me ria
como um vestido de eterna festa.
.

Como tenho a testa sombria,
derrame luz na minha testa.
Deixe esta ruga, que me empresta
um certo ar de sabedoria.

.
Não meta fundos de floresta
nem de arbitrária fantasia...
Não... Neste espaço que ainda resta,
ponha uma cadeira vazia.
.
.
CECÍLIA MEIRELES
A VIAGEM

27/Nov 18:44

Sem comentários: