Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

domingo, 18 de junho de 2017

Setúbal e o antigo Largo da Palmeira

*  Victor Nogueira

Largo Dr. António Joaquim Correia, que desconheço quem tenha sido, é o nome actual do antigo Largo da Palmeira, na vizinhança do antigo Convento de N. Sra da Anunciada, que remonta ao século XVI. Poderia ser um recanto acolhedor mas não é, atulhado de automóveis e com mitos edifícios das ruas limítrofes degradados ou em ruínas, alguns com ar rural como o nome Rua da Herdade indicia (depois Quinta da Saboaria). No entanto abundam nele e pelas redondezas cafés e restaurantes, como o que foi o do Xico da Cana, celebridade local e cantador do Rio Azul a quem deram o nome a uma inóspita rua com belos miradouros lá para os lados da Rua José Carlos da Maia, antiga Rua Nova de S. Francisco, e da Avenida S. Francisco Xavier.


Creio que neste Largo se situava a Escola Industrial onde o meu tio José João leccionou após concluir Arquitectura no Porto e antes de regressar a Angola. Nessa altura teria sido  inaugurado o edifício no Parque do Bonfim, onde décadas depois também leccionei. Pois contava o meu tio que alunos e professores transportaram então os móveis e demais apetrechos para o novo edifício. Teria sido mesmo assim ou a memória já me vai pregando partidas ?










(Rua Vasco da Gama)

fotos em 2017.06.06





Sem comentários: