Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Andarilhando pelo Troino e Anunciada 01

* Victor Nogueira


O Troino visto do Outeiro da Saúde




O Troino visto do logradouro da Rua D. Pedro Denis




(fotos Américo Ribeiro ?)


Esta fonte remonta ao século XVI, era abastecida por uma nascente situada no Outeiro da Saúde que abastecia, por sua vez o Recolhimento de Nossa Senhora da Soledade. Sofreu as primeiras obras no século XVI por ordem do rei D. Sebastião, com fundos provenientes da população. As formas atuais e o gosto neoclássico que hoje podemos admirar neste fontanário devem-se ao desenho de recuperação efetuado em finais do século XVIII .(http://www.aguasdosado.pt/backoffice/files/file_41_1_1318437799.pdf)







Monumento à operária conserveira Mariana Torres, no Largo da Fonre Nova, escultura de Jorge Pé-Curto


registo de azulejos




Rua Vasco da Gama (ao fundo a Igreja de N. Sra da Anunciada)


Palácio Feu Guião, em obras de "recuperação"








Pelo bairro, quadras populares nos muros que o tempo vai desvanecendo


Largo da Bela Vista com a Igreja de N. Sra da Saúde ao fundo





Baluarte de N. Sra da Saúde (muralha seiscentista) (mais em https://kantophotomatico.blogspot.pt/2017/05/muralhas-de-setubal-baluarte-de-n-sra.html)






Travessa da Bela Vista com o Palácio Botelho Moniz ao cimo e à esquerda



Casa onde teria nascido Luísa Todi, na Rua da Brasileira nº 49




escadaria de acesso à Rua da Batalha do Viso


Vista a partir da Rua da Batalha do Viso





















Praça Marquês de Pombal



Pelourinho de Setúbal. A sua construção deu-se numa data muito tardia, certamente para substituir o antigo símbolo de autoridade municipal com que as vilas e cidades do reino vinham materializando o seu estatuto, desde o século XV. Data do reinado de D. Maria I, numa cronologia já bem avançada no século XVIII e instituiu-se como um dos principais símbolos do governo do Duque de Aveiro, que então detinha os direitos sobre a cidade. Anteriormente estivera colocado no Largo da Ribeira Velha (mais em http://www.patrimoniocultural.gov.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/69877/
)

Travessa do Marquês de Pombal


Pelourinho de Setúbal



Largo da Fonte Nova



fotos em 2017.05

VER TAMBÉM

Andarilhando pelo Troino e Anunciada 02

Sem comentários: