Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

O reencontro


27/02/12

Estação da Amadora

1 comentários
Depois de passar a porta que mostro em baixo, cuja parede é forrada de pequenos mozaicos formando um belo Graffiti, reparei que as escadarias que nos levam á entrada da avenida são iluminadas por modernos mas interessantes candeeiros, mas vi também que estes são os lugares predilectos dos pombos que tomaram de assalto a cidade tal como fizeram a Lisboa.
Corro o risco de ver os protectores dos animais se voltarem contra mim, mas paciência, não tenho culpa de gostar de pombos e ao mesmo tempo gostar do que de Belo e arte o nosso pobre País ainda tem para nos mostrar.
É que o resultado final foi este, e eu pergunto quanto tempo nos falta para tudo esteja assim...?

Sem comentários: