Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Veja o calendário Pirelli 2010 (com bastidores)

IOL Diário - 19-11-2009 - 20:23h

Fotógrafo Terry Richardson garante uma visão mais natural, 

regressando aos primórdios do calendário



.
A Pirelli apresentou o seu calendário para 2010, desta vez da responsabilidade do fotógrafo americano Terry Richardson, que foi até ao Brasil tentar fazer justiça à tradição de qualidade desta publicação. Nas 30 imagens alusivas aos meses de 2010, Richardson retrata um regresso a um Eros puro e jocoso. «Através da sua lente, persegue fantasias e provocações, mas com uma simplicidade que modela e captura o lado mais claro e brilhante da feminilidade. Retrata uma mulher que é cativante porque é natural, que joga com estereótipos para os desfazer, que faz da ironia o único véu com que se cobre», explica a marca em comunicado.
.

Este é um regresso às atmosferas naturais, autênticas, dos anos 60 e 70 do século passado. É uma clara homenagem às origens do Calendário, um regresso às primeiras edições de Robert Freeman (1964), Brian Duffy (1965) e Harry Peccinotti (1968 e 1969). Terry Richardson, tal como os seus ilustres antecessores, escolheu um tipo simples de fotografia, sem retoques, onde a naturalidade prevalece sobre a técnica e se torna a chave para remover os excessos artificiais, em voga hoje em dia, para revelar a verdadeira mulher que existe por debaixo.
.
O galo, o sabre, os jactos de água e os pneus velhos tornam-se os sinais de pontuação para dar ritmo e harmonia à história contada por Richardson, em que sugestões da Pop Art que inspirou algumas das primeiras edições do Calendário se fundem com um Eros característico deste fotógrafo americano, aquele Eros que, no 2010 Cal, só é evocado ligeiramente, através de alusões que Richardson usa para troçar das convenções, dando forma e carnalidade a coisas tabu.
.
«A minha técnica é a ausência de técnica: a lente é o meu olho, o meu carisma, a minha capacidade de capturar momentos de verdade, sejam eles quais forem, ângulos de imagem, uso da cor, luz, cenário ¿ esses sempre foram os aspectos essenciais da minha arte fotográfica», explica o fotógrafo.
.
Onze modelos aparecem no Calendário: Catherine McNeil, Abbey Lee Kershaw e Miranda Kerr da Austrália, Eniko Mihalik da Hungria, Marloes Horst da Holanda, Lily Cole, Daisy Lowe, e Rosie Huntingdon do Reino Unido, Georgina Stojilijtoric da Sérvia e duas naturais do Brasil, Gracie Carvalho e Ana Beatriz Barros.
.

 

.
Calendário Pirelli 2010
.

Sem comentários: