Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Miradouros 03 - Avenida Belo Horizonte 01

* Victor Nogueira

Reza a "Avé Maria no Morro" que pobre, lá no cimo do morro, tem "felicidade de arranha-céu / Pois quem mora lá no morro / Já vive pertinho do céu" Assim, o Viso, o Casal das Figueiras, as Fontainhas ou a Belavista e Santos Nicolau eram poiso de pobres, do operariado conserveiro ou da pescadores, geralmente locais de casas abarracadas pois os ricos preferiam a várzea de Setúbal, dos laranjais e das quintas, onde construíam as suas casas de campo, palácios e vivendas.  Se para isso tivessem poder, à insalubridade os pobres e miseráveis de Setúbal talvez preferissem as vivendas do Bairro Salgado ou os "arranha-céus" do Bairro do Liceu.

As escarpas ou barrocas de S. Nicolau, onde existe um bairro essencialmente edificado pela "aristocracia" operária conserveira e pelos pequenos patrões da pesca, para cá dos insalubres e abarracados bairros Dias, Mal Talhado ou da Monarquina, são um miradouro natural, ao longo das quais "caminha" parte da Avenida Belo Horizonte, com dois miradouros ou, mais apropriadamente, mira-sado:  o varandim do edifício que alberga o Gabinete Municipal de Apoio ao Empresário e, a meia encosta, o miradouro do Jardim Camilo Castelo Branco, tema de vários posts entre os quais  Em Setúbal e de novo no Jardim das Escarpas de S. Nicolau

Belo Horizonte é um miradouro a 180º, de múltiplos pontos de observação, com deslumbrantes pôr-do-sol, que permite vislumbrar o Rio Sado desde a Península da Mitrena até à Serra da Arrábida e ao Oceano Atlântico, sem esquecer a Baixa de Setúbal.











Ao Bandarra venho muitas vezes lanchar e ler o jornal ou algum livro, com o  estuário no horizonte. É um café simpático





fotos em  __/__/__


ao longo da Avenida Belo Horizonte e das Escarpas de S. Nicolau






porto fluvial de Setúbal










o Bairro Azul no horizonte, outro magnífico mira-sado, foi visitado em De novo na Bela Vista, em Setúbal

estação elevatória de água, na Belavista




ao fundo, ruínas dum moinho de vento



mira-sado do varandim do GAE
e Jardim Camilo Castelo Branco













fotos em 2017.08.07


OUTROS MIRADOUROS EM SETÚBAL

Sem comentários: