Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

sábado, 15 de agosto de 2015

mindelo num fim de tarde cinzentão

* Victor Nogueira

O dia esteve soalheiro, ameno, de céu azul. A partir do meio da tarde tornou-se cinzentonho e chuviento. A caminho da praia o som atroador caracterísco de feiras, esta durando apenas o dia de hoje, ocupando o parque de estacionamento. Em cima do palco uma rapariga executa gestos de ginástica ritmica, repetidos pelo assistentes de variadas idades. O recinto é pobre: tendinhas do que pretende passar por artesanato, alguns locais de comes e bebes, um animal assando num enorme espeto, recinto para as crianças .. O público é pouco e o tempo não convida nem torna apelativa a pobrezes do recinto.

A caminho de casa resolvo não ir pelo interior da freguesia passando por baixo do viaduto e sigo em frente, cruzando a passagem de nível. Verifico assim que o mini-mercado Biguana já nãoé na estrada para Vila do Conde, junto às bombas de combustível da Galp mas  sim perto da estação do metropolitano de superfície. Aproveito para fazer algumas compras e a senhora sorridente que me atende responde-me que a criança que provoca o adiantado estado de gravidez nascerá em breve.

post-scriptum -  Uma vez mais, cerca da meia-noite, estralejam foguetes, assinalando talvez o fim da festa, neste mês de feiras e romarias, umas ricas, sumptuosoas, bem afreguesadas, com cortejo e andores, outras nem por isso.



















Sem comentários: