Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

mindelo - as fases do quintal

*  Victor Nogueira


No tempo do meu avô no quintal e no terreno contíguo do meu tio Zé Barroso - entretanto vendido pelos meus pais - semeavam-se pencas, batatas e cebolas, repartidas entre o meu avô e a vizinha que  os cultivava e olhava pela casa durante o ano. Anos após a morte do meu avô, em 1976, os meus pais puseram termo ao acordo com a senhora que cultivava o terreno pois ela proclamava pela vizinhança que a propriedade era dela, por usucapião. No tempo do meu avô este - na Rua dos Bragas - guardava as batatas e as cebolas na parte do sótão que era em telha vã, contíguo ao quarto onde eu ou a minha mãe ficávamos quando íamos ao Porto.

Assim, tirando plantas florais e árvores de fruto, nada mais se cultivava. Entre 2007 e 2014 não voltei ao Mindelo e o quintal transformou-se em matagal, sendo entretanto arrelvado e agora tem plantas florais, uma oliveira, uma palmeira e uma árvore da borracha, tencionando que nele seja plantado um limoeiro.

A FASE DA AGRICULTURA (1972)




Maria Emília, senhora Amélia e Zé Barroso

A FASE DO RELVADO (2009)




(foto de família)


A FASE DO MATAGAL (2014)










(2014)

A FASE DA FLORICULTURA (2015)






















Sem comentários: