Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

sexta-feira, 4 de março de 2011

Adeus Lisboa - Alberto Ribeiro

  .
| Criado: 04/04/2010  
.


.
| Criado: 28/02/2011
não existe nenhuma descrição disponível
.
“ADEUS LISBOA”
Letra de Amadeu do Vale
Música de Alberto Ribeiro
.
Adeus velha Lisboa
das guitarras
Plangentes de amargura
pelas vielas
Lisboa dos pardais
Lisboa das cigarras
Do sol batendo em cheio
Nos vidros das janelas

Adeus Lisboa
Da velha Alfama sombria
Lisboa da Mouraria
Lisboa da tradição
Adeus Lisboa
Cheia de luz e de cor
Lisboa do meu amor
Amor do meu coração

Adeus velha Lisboa
Das canções
De pares de namorados
Pelas esquinas
Das tardes outonais
Das graças dos pregões
Da cor verde do Tejo
Nos olhos das varinas

Adeus Lisboa
Da velha Alfama sombria
Lisboa da Mouraria
Lisboa da tradição
Adeus Lisboa
Cheia de luz e de cor
Lisboa do meu amor
Amor do meu coração
.
.
http://pauloborges.bloguepessoal.com/236700/ADEUS-LISBOA-CANTADO-POR-ALBERTO-RIBEIRO/
.
 

Sem comentários: