Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Fotógrafos registram abandono de Detroit

 
Cultura

Os fotógrafos franceses Yves Marchand e Romain Meffre retrataram no livro Detroit in Ruins a decadência da cidade que já foi uma das maiores dos Estados Unidos. 
.
O projeto foi executado entre 2005 e 2010. Os dois já fotografavam teatros abandonados em Paris até encontrar, na internet, uma imagem da estação ferroviária abandonada em Detroit. Com esta imagem em mente, os dois partiram para os Estados Unidos.
.
Chegando à cidade, os fotógrafos encontraram uma paisagem de abandono e decadência no centro de Detroit, algo que começou na década de 50 e se acelerou nos anos 60.
.
Detroit é a cidade onde a indústria automobilística nasceu: Henry Ford criou a primeira linha de produção em 1913. Com isso, a cidade cresceu com belos prédios e chegou a ter quase 2 milhões de habitantes na década de 50.
.
No entanto, nos anos 50 a classe média branca começou a deixar o centro da cidade. Na década seguinte, em 1967, a tensão social chegou ao auge com um dos confrontos urbanos mais violentos da história dos Estados Unidos.
.
Depois disso, o êxodo da população se acelerou e bairros inteiros começaram a desaparecer. Prédios antigos do centro de Detroit foram esvaziados, a cidade perdeu metade de sua população em 50 anos.
.
As fotos mostram desde prédios públicos abandonados, como escolas e bibliotecas, até bancos e hotéis luxuosos, além de fábricas de carros. Detroit, que já foi capital industrial no século 20, agora exibe ruínas em seu centro.
.
Os autores afirmam que Detroit ainda apresenta todos os prédios típicos de uma cidade americana, porém em estado de mumificação, como a delegacia de polícia onde documentos de investigação estão pelo chão ou casas antigas que já foram luxuosas.

.

No entanto, nos anos 50 a classe média branca começou a deixar o centro da cidade. Na década seguinte, em 1967, a tensão social chegou ao auge. Acima, o salão de baile do Lee Plaza Hotel. Crédito: Yves Marchand e Romain Meffre (Livro: 'Detroit in Ruins')
.


Depois disso, o êxodo da população se acelerou e bairros inteiros começaram a desaparecer. A cidade perdeu metade de sua população em 50 anos. Acima, o átrio do prédio Farwell. Crédito: Yves Marchand e Romain Meffre (Livro: 'Detroit in Ruins')
.

 
.
As fotos mostram desde prédios públicos abandonados, como escolas, até bancos e hotéis luxuosos, além de fábricas. Acima, o Banco Nacional de Detroit. Crédito: Yves Marchand e Romain Meffre (Livro: 'Detroit in Ruins') 
.


Os autores afirmam que Detroit ainda apresenta todos os prédios típicos de uma cidade americana, porém em estado de mumificação. Crédito: Yves Marchand e Romain Meffre (Livro: 'Detroit in Ruins'). 
.
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/01/110105_detroit_abandono_fn.shtml
.

Sem comentários: