Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

domingo, 6 de setembro de 2015

inflorescências em fim de verão

* Victor Nogueira

O sol ainda aquece e nas roseiras e nas dálias, depois de podadas, surgem botões que o correr dos dias vai lentamente abrindo em florescência. Um alvo jarro surdiu perto das perpétuas e a planta da borracha vai vicejando. Crescendo esta muito, terei de colocá-la em vaso com podas regulares para travar o seu crescimento.















Sem comentários: