Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

sexta-feira, 21 de março de 2008

Barcos em Setúbal

Quinta-feira, Maio 31, 2007

*
Fotografias - Victor Nogueira




Doca da Pesca (Susana)




Estuário do Sado



Barco em fim de vida



Barco em fim de vida



Leme de barco em fim de vida

Barcos em Setúbal



Sou Barco
.

Sou barco abandonado
na praia ao pé do mar.
E os pensamentos são
meninos a brincar.
.
Ouço o fragor da vaga
sempre a bater ao fundo.
Escrevo, leio, penso,
passeio neste mundo
de seis passos e sempre o
mar a bater ao fundo...
.
Ei-lo que salta bravo
e a onda verde-escura
esfarela-se em trigo
de raiva e amargura.
.
Agora é todo azul
com barras de cinzento
e logo é verde, verde
seu brando chamamento.
.
O mar, venha a onda forte
por cima do areal.
E os barcos abandonados
voltarão a Portugal...

ANTÓNIO BORGES COELHO
.
.
Colocado por Victor Nogueira em Kant_O_XimPi @ Quinta-feira, Maio 31, 2007
.
.

2 comentários:

Maria, Simplesmente disse...

Estou a ver um futuro album de fotografias... ou não?
Seria muito bom pensar nisso.
Boa Páscoa
Bj
Maria

Maria, Simplesmente disse...

Ando aqui a passear, por estas paisagens de Setúbal.
As fotografias são tão bonitas e o poema bem escolhido e lindo.
Depois vou até outras paragens aqui perto, tenho tanta coisa para ver!...