Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Celeste Gato

Quarta-feira, Maio 23, 2007



  • Poemas

    * Rui Pedro Gato

Eu
que cresci em ti
de teu corpo
Celeste
Que vivi em ti
O conforto
Agreste
De te ver partir
Com um "até já"
Sem te ver sorrir,
Sem acreditar,
Sem me aperceber quão belo é
Tudo o que perdi.
Tu
Que me deste a mim
Não pensaste em ti,
E me abraçaste
Com teu céu eterno.

Continuação em Kant_O_XimPi

.


Poemas - Rui Pedro - 2004
,
Fotografia de Victor Nogueira

(Celeste Gato - 1951.05.07 - 1995.12.21 )



1 comentário:

Maria, Simplesmente disse...

Nada se esquece, mas tudo tem de ser atenuado.
O teu poeta necessita de um pouco mais de alegria.
Os poemas dele são belos, mas muito tristes.
Bjs para ele
Maria