Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

sábado, 13 de agosto de 2016

Parque dos Poetas, em Oeiras

* Victor Nogueira

O Parque dos Poetas foi o pano de fundo para a conversa-em-dia após cerca de15 anos de ausência  e silêncio da Musa D'Ante. Confirmei que os contos "anónimos" que recebera em tempos eram dela e a desfiar do que sucedeu nestes longos anos lançou para 2º plano a visita ao Parque. Restam as fotos da 2ª e 3ª fases do projecto, com uma paragem mais prolongada em Camões, onde as paredes em mármore da  Gruta se encontram grafitadas.



José Anastácio da Cunha (1744/1787)



Correia Garção (1724-1771 ou 1772), por Cristina Ataíde





Templo da Poesia





Filinto Elísio, por António Matos












Ilha dos Amores, esculturas de Francisco Simões







Gruta de Camões

2016.07.31
MAIS SOBRE   O PARQUE DOS POETAS EM http://kantophotomatico.blogspot.pt/2014/11/oeiras-espreitando-o-parque-dos-poetas.html

Sem comentários: