Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Adios Pampa Mia - Libertad Lamarque



Enviado por  em 18/10/2011
Adios Pampa Mia, composição de Canaro, Mores e Pelay, interpretado por Libertad Lamarque.



Adios, Pampa mia... 
me voy, me voy a tierras extrañas. 
Adios, caminos que he recorrido, rios, montes y quebradas. 
Tapera donde he nacido... 
Si no volvemos a vernos, tierra querida, 
quiero que sepas que al irme dejo la vida. 
Adios!... Al dejarte, Pampa mia, 
ojos y alma se me llenan con el verde de tu pasto 
y el temblor de las estrellas; 
con el canto de los vientos y el sollozar de viguelas 
que me alegraron a veces y otras me hicieron llorar. 
Adios... Pampa mia... 
Me voy camino de la esperanza. 
Adios, llanuras que he galopado, sendas, lomas y quebradas, 
lugares donde he soñado. 
Yo he de volver a tu suelo cuando presienta 
que mi alma escapa como paloma, hasta el cielo. 
Adios... Pampa querida... 
Adios.


Sem comentários: