Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

sábado, 11 de abril de 2020

Setúbal (Bº Afonso Costa) (1998)

* Victor Nogueira

Nos anos '40 do Século XX (1948) , na periferia oriental da cidade, onde proliferavam e até pouco depois do 25 de Abril existiam bairros de lata albergando a população setubalense, o Estado Novo construiu dois bairros residenciais.
Um, destinado à pequena burguesia, foi o Bairro N.. Sra da Conceição, de vivendas geminadas de dois pisos e um pequeno quintal, servido por um Mercado Municipal,

O outro foi o Bairro Carmona (rebaptizado com o nome de Afonso Costa), com vindas térreas ou de dois pisos, geminadas., separadas popr amplos espaços. As vivendas térreas estavam decoradas com azulejos de tom acastanhado, com motivos diversos, especialmente com temática animal ou floral. As assoalhadas das casas de qualquer um destes dois bairros eram minúsculas.

Cada um destes dois bairros era servido por uma Escola Primária.

O Bairro Carmona foi demolido e no seu local erguida uma urbanização com prédios de 4 pisos, em regime de propriedade horizontal, circundando pátios interiores.

Do entulho da demolição ainda consegui salvar alguns dos azulejos.


foto victor nogueira - Setúbal (Bº Afonso Costa) 1998 01 13 - rolo 216


Sem comentários: