Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Pedra Furada no Concelho de Barcelos

* Victor Nogueira
(texto e fotos)

Pedra Furada e Goios são duas freguesias rurais nos arredores de Barcelos onde tenho muitos familiares por parte do meu avô materno - António dos Santos Barroso - . que nasceu e viveu em Goios até rumar para o Porto, onde casou com quem viria a ser a minha avó, Francisca da Conceição Nogueira Barroso, de Chaves. Família que, por diligência do Paulo L voltei a re-encontrar há dois anos e me acolheu com simpatia apesar duma ausência minha de décadas.Há dias voltei àquelas freguesias a convite do Paulo, para fazer o périplo dos presépios na via pública nos vários lugares e que é objecto doutro post. Novamente almoçámos cozido à portuguesa no acolhedor e agradável restaurante da Pedra Furada, nesse dia sem enchentes de peregrinos a caminho de Santiago de Compostela.


O estabelecimento foi fundado em 1946  como taberna e em 1974 sofreu uma profunda remodelação, que lhe deu o aspecto actual. Um livro de viagens que já preenche vários volumes regista os tertemunhos e  apreciações de peregrinos de todo o mundo. Vários livros expostos em diversos idiomas falam da rota e das viagens a Santiago de Compostela. Para além dos livros, há outros testemunhos dos peregrinos numa das paredes do restaurante: a vieira, a cruz e o cajado de São Tiago, pequenas bandeiras-galhardetes de países distantes como o Chile, a Nova Zelândia ou a Austrália. Com gastronomia minhota uma das especialidades é o "galo recheado no forno à moda de Barcelos" Uma reportagem mais desenvolvida encontra-se em "Pedra Furada e o livro dos caminhos cruzados "  (http://fugas.publico.pt/Viagens/280280_pedra-furada-e-o-livro-dos-caminhos-cruzados?pagina=-1)












parede do jazz





recordações dos peregrinos


um dos volumes do livro de viagens com os testemunhos dos peregrinos e vistantes









parede dedicada ao jazz









um dos proprietários, sr António Herculano

Igreja Matriz 






Resultado de imagem para barcelos pedra furada

(2003)

A pedra furada que deu o nome à freguesia, seria a cobertura do túmulo de uma mártir - Santa Leocádia, morta em Toledo que, segundo a lenda, teria sido ali enterrada viva no século IV dC. Para sobreviver – e aqui é que residirá o milagre – a Santa em causa tanto forçou, tanto forçou que acabou por fazer o buraco na pedra com a cabeça.  
.  



Goios vista da Igreja Matriz





Três irmãs casaram com três senhores abastados da região e cada uma das casas tinha o seu mirante a partir dos quais e com monóculo se viam umas às outras. Uma residia nesta Casa dos Faria, outra  na Casa dos Serras, em Goios, e a terceira em Casa da Torre de Moldes, em Remelhe, como é referido em  Goios, Pedra Furada e Remelhe (edição revista) (http://kantophotomatico.blogspot.pt/2014/09/goios-pedra-furada-e-remelhe-edicao.html)





antiga Escola Primária














"A Capela da Senhora das Brotas é também um dos monumentos patrimoniais mais importantes da freguesia. Ainda que não se conheça a data precisa da sua edificação, os séculos XV e XVI são apontados, por vários historiadores, como os mais prováveis. O local de culto vale, sobretudo, pelo altar-mor, trabalhado em talha Renascença dourada, e pelas histórias que a ele estão associadas. Era local de paragem obrigatória para os peregrinos que percorriam os caminhos de Santiago. Curiosamente, a Senhora das Brotas, por ser a protectora dos animais, em tempos tinha honras no Domingo Gordo, altura em que se efectuava um leilão de gado no final da missa. Os animais eram postos à venda, revertendo os fundos para a manutenção da capela e para a realização da festa em homenagem à Senhora. Hoje, essa tradição perdeu-se, mas ainda se realiza a festa dedicada à Santa, no dia 22 de Agosto." (http://www.pedrafurada.maisbarcelos.pt/?vpath=/inicio/patrimonio/)

fotos em 2016.12.11

Sem comentários: