Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

no 1º de janeiro, pôr-do-sol na foz do rio Ave





foto victor nogueira - pôr-do-sol na foz do Rio Ave (Vila do Conde - entrada da barra) 2015.01.01

Por estas bandas nortenhas está muito frio e gélido, mas sem as temperaturas negativas de setúbal. Dizem que de manhãzinha por vezes os campos estão cobertos de neve, mas deve ser geada. Fora isso, os dias estão soalheiros, de céu azul. com núvens boas para fotografar o pôr-do-sol. Contudo o entardecer do 1º dia do ano esteve neblinado.

Ali na varanda - batida pelo sol o dia inteiro - o tempo está quentinho, para ler estirado numa cadeira desdobrável.

Depois de ler uma interessante "Viagem a Angola", de Daniel Melcalfe, estou a terminar "Filha da Revolução e outros contos", de John Reed, que no início do século XX acompanhou as Revoluções Mexicana e Russa, autor do conhecido "Dez Dias que Abalaram o Mundo", sobre a Revolução Bolchevique na Rússia. Este último livro está na base de filmes como "Outubro", de Eisenstein, e "Reds" de Warren Beatty, respectivamente de 1927 e 1981.

Sem comentários: