Escrevivendo e Photoandando por ali e por aqui

“O que a fotografia reproduz no infinito aconteceu apenas uma vez: ela repete mecanicamente o que não poderá nunca mais se repetir existencialmente”.

Roland Barthes

.

«Ao lermos uma novela ou uma história imaginamos as cenas, a paisagem, os personagens, dando a estes uma voz, uma imagem física. Por isso às vezes a transposição para o cinema revela-se-nos uma desilusão. Quando leio o que a Maria do Mar me escreve(u) surge perante mim a sua imagem neste ou naquele momento da nossa vida, uma pessoa simples, encantadora, gentil e delicada.»

Victor Nogueira

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Maia

* Victor Nogueira


A Maia era uma zona rural que suburbanamente se desenvolveu e, como muitas outras nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, é um catálogo de más práticas urbanísticas. Ou de ausência de boas delas.  As fotos abaixo são do centro da cidade, onde se situa algum equipamento social, incluindo os Paços do Concelho, atravessado por uma via rápida e com acesso por estreitos e tortuosos caminhos vicinais.







Por debaixo, um parque de estacionamento automóvel tarifado





Sem comentários: